11 de maio de 2015

ESTE PROJECTO CHEGA AO FIM!

Queridos leitores,

No momento em que cumpre dois anos, o Greener Healthier Happier está a chegar ao fim. Neste momento da minha vida, alimentar um blogue só meu e sobre este tema faz pouco sentido. Escrever um blogue era uma experiência que queria ter porque gosto muito de escrever e de passear na blogosfera. O tema escolhido para o blogue foi o mais certo, já que sinto que me permitiu crescer bastante: debati-me comigo própria  e com as minhas crencas e atitudes muitas vezes, pesquisei imenso, e conheci pessoas e blogues fantásticos.

Em jeito de agradecimento, deixo-vos com a minha escolha do best of deste blogue:

1. Papas para bebés caseiras (com glúten, não lácteas): a mensagem mais lida do blogue.
2. Usar sabonete em vez de gel-de-banho: no top 5 das mais lidas. Um gesto tão simples com um impacto tão grande.
6. Fazer xixi no bidé: parece estranho mas foi mesmo uma óptima ideia que veio para ficar.

Deixo-vos também o meu e-mail ana_t.ss {arroba} hotmail.com para o que possa surgir. Muito obrigada a todos os milhares de visitantes que alimentaram este projecto!

Vemo-nos online ;)
Com amor,
Ana

USAR UM COPO MENSTRUAL

Boa noite, queridos leitores!

O copo menstrual parece ser uma invencão Finlandesa que pretende ser ecológica, confortável, prática, e económica. Como o póprio nome indica, é um copinho que se insere na vagina, e que recolhe o sangue das menstruacões.

Eu comprei o meu Lunette há dois anos. Mas porque nessa altura tinha menstruacões raras e ficava em pânico só de olhar para o tamanho do copo, só este ano é que tentei usá-lo diariamente.

E está a correr bem! Este post serve, no entanto e apenas, para deixar algumas notas que dificilmente se encontram.

Algumas notas:

Se têm períodos muito abundantes, e mesmo usando um copo grande, pode ser difícil adaptarem-se por terem de mudar o copo a meio do dia, num lugar público. Eu só me imagino a tirar e pôr o copo em casa.

Para ajudar a colocacão do copo, podem usar um lubrificante natural, como o azeite, o óleo de coco, ou outro óleo vegetal comestível. Fica muito mais barato do que comprar um lubrificante de marca e é muito mais saudável.

O copo menstrual pode não funcionar para todas as mulheres, tal como os tampões. Eventualmente, pode estimular o chamado ponto G, criando algum desconforto e até constante vontade de fazer xixi. 

Boa sorte a tirar o copo! :) Esse tem sido o meu desafio e o motivo pelo qual ainda não estou totalmente habituada ao copo. Devem agarrar a patilha por onde vão puxar o copo, e ao mesmo tempo desfazer o vácuo do copo (se não, magoa e o sangue vai parar às paredes!...). Eu só consigo fazer isto de cócoras!

Experiências desse lado?

5 de maio de 2015

REGALOS DA PRIMAVERA...

Se encontrar flores grandes, como rosas ou camélias, já caídas da árvore no chão, leve-as para casa e coloque-as numa taca de vidro com água. Utilize-a para decorar, por exemplo, o seu local de yoga ou de meditacão, a sua casa-de-banho ou a sua mesa de jantar. É tão simples, fica tão lindo e dura vários dias.

Aproveite também a Primavera para apanhar ramos de verdes selvagens da rua. Com carinho, fazem-se arranjos para jarras muito bonitos, que duram muito tempo e trazem muita vida e paz ao lar.

Mais ideias de decoracão natural neste post.

Feliz pôr-do-sol,
Ana

9 de abril de 2015

ROTINA DE BELEZA ECOLÓGICA

If you don't take care of your body, where are you going to live?

De manhã:
Acordar cedo sem despertador
- Limpar a pele da cara usando apenas água
- Escovar os dentes com pasta medicinal couto
- Aplicar um bom hidratante para o rosto, caso necessário
- Escovar os cabelos com muito amor
- Aplicar um bom bálsamo labial (por exemplo, este ou este)
- Sorrir para o espelho

À noite:
- No duche, trocar o gel de banho por um sabonete de três ou quatro ingredientes (sem contar com óleos essenciais, pigmentos e aromas naturais)
- Aplicar um bom creme corporal
- Escovar os dentes com pasta medicinal couto
- Limpar as unhas das mãos
- Aplicar um bom creme de mãos e de rosto, e um bom bálsamo labial
- Deitar-se cedo

De vez em quando:
- Esfoliar o rosto e o corpo com uma luva de crina ou com um esfoliante natural
- Limpar os dentes com fio dental

Sempre:
- Aceitar e aprender a amar a cor do cabelo que a Natureza escolheu para ti
- Fazer uma dieta maioritariamente vegetariana, com muitos hortícolas, frutas frescas e secas, leguminosas, cereais, frutos oleaginosos e sementes
- Manter-se fisicamente activo
- Aceitar e aprender a amar o próprio corpo
- Apanhar sol o mais possível
- Sorrir com o fígado :)


E desse lado, quais são as rotinas da vossa beleza exterior?

4 de abril de 2015

A NETLESS NIGHT - 7 DE ABRIL

Queridos leitores,

Na noite do próximo dia 7 de Abril, convido-vos a desligar os routers wireless das vossas casas antes de irem para a cama, e experienciar uma noite em que as únicas radiacões no ambiente são as vossas boas vibracões :)

Convidamos também os responsáveis de cafés, lojas, escolas, bibliotecas, locais de trabalho e outras instituicões onde o Wi-Fi está geralmente ligado 24/7, a fazer o mesmo no final do dia, antes de fechar!


Marquem no vosso calendário, é já na próxima terca-feira! Visitem aqui o evento no facebook!

Sometimes, science does not keep pace with new environmental exposures that are by-products of useful things we want to buy and use in society. So, the deployment runs ahead of knowledge of health risks. It is an old story. This is the case for EMF (electromagnetic fields) and RFR (radiofrequency radiation) (The Bioinitiative 2015) 

Se quiserem ler sobre Wi-Fi e saúde consultem as referências que usei:

The Bioinitiative. Why we care? The stakes are very high. Available at: http://www.bioinitiative.org/participants/why-we-care/ (accessed on 3.4.2015)

International Commission on non-ionizing radiation protection (ICNIRP). High Frequency 100 kHz - 300 GHz. Available at: http://www.icnirp.org/en/frequencies/high-frequency/index.html (accessed on 3.4.2015)

International Agency for Research on Cancer and World Health Organization. IARC classifies radiofrequency electromagnetic fields as possibly carcinogenic to humans. Available at: http://www.iarc.fr/en/media-centre/pr/2011/pdfs/pr208_E.pdf (accessed on 3.4.3015)

31 de março de 2015

DIA ALIMENTAR RICO EM FERRO

Dia alimentar rico em ferro, só com comida de verdade, ecológico e cheio de amor, sem alimentos de origem animal. Como me baseei na Tabela Portuguesa de Composição de Alimentos, este dia alimentar só contém alimentos tradicionalmente presentes na alimentação Portuguesa, não estando portanto incluídos derivados da soja nem outros substitutos da carne, nem alimentos menos mainstream. Espero que vos seja útil!

Exemplo de um dia alimentar rico em ferro

Pequeno-almoço:
Papas de aveia, granola ou muesli caseiros com passas de fruta (tâmaras, alperces, ameixas, uva, figo), frutos secos (pistachios sem sal, cajus sem sal, pinhão, amêndoas com a pele, avelãs, nozes, amendoins), sementes (abóbora, girassol), farinha de alfarroba, canela, cacau em pó ou raspas de chocolate negro

Merenda da manhã:
Fruta fresca: uvas, ameixas, tâmaras, alperces, figos frescos

Almoço:
Sopa de agrião
Caril de grão com arroz integral, e salada de alface e coentros frescos
Maçã assada com canela

Lanche:
Castanhas assadas, tremoços, azeitonas ou batido verde de agrião, espinafres, salsa e coentros (e banana, para adoçar)

Jantar:
Sopa de grão com espinafres
Favas guisadas com arroz integral, e salada de alface e coentros frescos
Rodelas de laranja do Algarve com canela

Criem os vossos próprios dias ricos em ferro variando as sopas e os pratos principais:

Mais sopas ricas em ferro:
Sopa de feijão-manteiga ou branco, com espinafres
Sopa-creme de brócolos
Sopa de feijão-frade e espinafres
Sopa de couve, muita couve

Mais pratos principais ricos em ferro:
Ervilhas guisadas com arroz integral, e salada de alface e coentros
Salada de grão-de-bico, batata cozida, cebola-roxa, azeite e muita salsa
Feijoada vegetariana de feijão-branco ou manteiga, com arroz integral e salada de rúcula
Salada de feijão-frade, batata cozida, cebola roxa, azeite e muita salsa
Guisado de lentilhas inteiras a acompanhar com arroz integral e brócolos aferventados

Com paz e amor,
Ana

26 de março de 2015

YUMMY!

Queridos leitores, boa tarde!

Sempre gostei muito de pão com queijo. Principalmente desde que parei de comer carne (e portanto, fiambre), pão com queijo ficou a ser o meu 'pão com fiambre', que adorava. Mas, como sabem, há bastante tempo que ando a tentar reduzir a quantidade de queijo e manteiga que como (e de lacticínios no geral) e por isso tenho experimentado outras opcões, das quais vos tenho vindo a falar.

E há poucos meses apaixonei-me por pão barrado com abacate e fatias de tomate maduro, sumo de limão, sal e pimenta, se apetecer. É uma verdadeira delícia, uma explosão de cores e sabores. Que como religiosamente ao pequeno-almoco há coisa de meio ano. Até já peguei ao meu namorado e à minha sogra :) Quando tenho muita fome, até salivo só de pensar em pão com abacate e tomate :)

Um abacate dá-me mais ou menos para barrar 4 pães. Depois de aberto, conservem o caroço na polpa o maior tempo possível, fechem o abacate com a outra metade, e guardem no frigorífico. Depois de aberto, podem regar a polpa com sumo de limão para não escurecer.

Lembrem-se de preferir abacate nacional, é fantástico que o produzamos em Portugal! 

Tenham uma óptima sexta-feira!
Ana

25 de março de 2015

BATATAS OU MASSA, SERÁ TUDO A MESMA COISA?

Queridos leitores,

Adoro batatas. Batatas cozidas com a pele, assadas inteiras no forno, batatas fritas caseiras, puré de batata, batatas gratinadas, cremezinho de batata na sopa, batatas salteadas, enfim. 

Para quem acha que a batata engorda (até me custa escrever isto), devia apresentar-vos uma amiga minha vegan, que chega a comer 6 batatas por refeicão, e tem um corpinho de D-e-u-s-a. Acontece que só come comida de verdade e pratica desporto. Ups, revelado o segredo para a boa forma!

Serve esta mensagem apenas para vos dizer porque é que, enquanto nutricionista, não gosto que se considere batatas e massa a mesma coisa, fontes de hidratos de carbono, e nada mais. 

As batatas são um super alimento. Salvam-nos da fome, crescem em climas agrestes, são extremamente versáteis, cozinham rapidamente, o sabor e a textura únicos. Não precisam de fábricas, nem marcas, nem embalagens de plástico, nem marketing (será que deviam?). São facilmente cultiváveis em pequenos quintais.

O seu valor nutricional é também muito diferente do da massa. A massa é um derivado do trigo, refinado, a batata é um tubérculo da Terra, são diferentes.

Reparem:

100g Batata cozida Esparguete cozido
Tiamina mg 0,18 0,04
Niacina mg 1,3 0,5
Folatos ug 21 7
Vitamina C mg 11 0
Potássio mg 366 31
Magnésio mg 13 7

Até breve!

24 de março de 2015

IF YOU WOULDN'T EAT IT, DON'T PUT IT ON YOUR SKIN

Estou apaixonada pelo meu novo bálsamo para lábios. É vegan, absolutamente comestível, com aroma quente e intenso a baunilha, textura perfeita, brilho estrelar, lista de ingredientes invejável, só óleos e manteigas vegetais. 

A marca, Hurraw, dos Estados Unidos. Custou-me 6,50€ aqui em Helsínquia, onde estão a causar furor por serem únicos, nomeadamente sem cera de abelhas. Creio que ainda não estão à venda em Portugal, mas acredito que não demorará porque são excelentes, e até coloridos com pigmentos naturais os há.

Quanto aos sabores, se não gostam de baunilha, também podem optar por canela, coco, laranja, café, chocolate... enfim <3


Acredito que em Portugal se fará tão bom ou melhor mas ainda não tive oportunidade de explorar o mercado nacional.

Beijinhos com sabor a baunilha de Madagáscar ;) 

QUE SACOS PARA O LIXO?

Queridos leitores,

Cá em casa, andamos a tentar inovar na separação do lixo.

Como deixei de trazer para casa sacos de frutas e hortícolas, que usava para separar o lixo orgânico (na Finlândia são uns sacos finos e macios mais 'biodegradáveis', próprios para o efeito), agora andamos a usar sacos feitos de jornal para recolher o lixo orgânico. Lembram-se de vos ter explicado como se fazem?

Quanto ao lixo indiferenciado, como separamos biodegradável, papel, cartão, metal e vidro, o que resta é praticamente só plástico. Para esse lixo temos usado embalagens de plástico que trazemos inevitavelmente para casa, como as do pão, já que aqui na Finlândia não há a cultura das padarias e o pão se compra embalado no supermercado.

Como muito deste lixo de plástico é seco e limpo, já temos posto directamente no caixote, sem saco algum, e depois é só despejar no contentor.

Dependendo de como nos adaptarmos a longo prazo a estas mudancas, consideraremos no futuro comprar sacos pretos para o lixo, já que parece que são plástico em fim de vida, que não será mais reciclado.

E vocês, como é que fazem aí em casa? Gostaria muito de ler sobre as vossas experiências!

Abraço Primaveril para todos,

O HOMEM QUE PLANTAVA ÁRVORES

No próximo fim-de-semana, em vez de irem ao cinema ver as estreias, sentem a vossa família a ver esta adaptacão da obra literária O homem que plantava árvores, considerado tão obrigatório como O Principezinho. Obrigada Trumbuctu, pela partilha! Iluminará certamente a vossa vida.

Até breve, amigos!

    

11 de fevereiro de 2015

GERACÃO EXPERIMENTAL.

Nós fomos a geracão experimental. Calaram-nos com chupetas de plástico, alimentaram-nos com farinhas lácteas importadas, fomos injectados de conteúdos que nem a enfermeira conhecia, fomos alimentados de coelhos e memés sem saber nem perceber, tomámos banho de olhos fechados para o champô não arder nos olhos, destruímos toda a nossa flora intestinal tantas vezes quanto o número de antibióticos tomados, comemos centenas de doces porque se não fazíamos birra, passámos a adolescência a cereais de pequeno-almoco, estudámos tanto, muitas vezes sem saber porquê nem para quê, fomos avaliados, classificados, pressionados. Ficámos desempregados, tirámos mais outro curso, escrevemos teses que ninguém leu. Adormecemos,

Para nos despertarmos,
E a todos os que não tiveram nem têm essa oportunidade. 

Somos novos, novidade e inevitáveis,
Vimos a galope,
Somos a mudanca,
Somos rEvolucão!
Rainbow eye, de LizzDurr121, publicado  aqui.

9 de fevereiro de 2015

REPENSAR AS LENTES DE CONTACTO!...

Queridos leitores!

Um bom início de semana para vocês. Ia no autocarro, tirei os óculos para esfregar um pouco os olhos cansados e apercebi-me de que já não uso maquilhagem por rotina quase há dez meses. Acima de tudo, sinto-me mais livre.

Também já há vários meses que ando a fazer outro experimento, mas esse tem-me custado um bocado - cada vez menos, de qualquer maneira. Tenho deixado os olhos descansar das lentes de contacto e feito a minha vida de óculos. 

Tenho miopia desde os 14 anos e desde então que uso lentes de contacto numa base diária, geralmente de manhã à noite, mesmo como não deve ser. Sempre fui usando óculos ao fim-de-semana, para estudar. Mas jamais saía de óculos.

Até que no Verão passado fui a uma consulta com uma técnica de oftalmologia, para saber que graduacão teríamos de pôr nas lentes dos meus novos óculos (a Multiópticas tem óculos em fim de linha, lentes sem anti-reflexo, até 3 dioptrias, por precos muitíssimo agradáveis). Na consulta, a senhora fez-me um exame rápido para pesquisa de lesões na córnea e enfim, já estão a ver, o olho esquerdo tem várias lesões. 

Juntei isto ao desconforto que tantas vezes sinto com as lentes e às três pequenas infecões que tive recentemente no olho direito (e que tenho a certeza foram causadas pelas lentes), e o resultado é esta mudanca inevitável.

Para além de zelar pela saúde dos meus olhos, a vida que sonho levar não é compatível com lentes de contacto. Toda esta experiência de que vos escrevo comecou exatamente enquanto estive no Awakened Life Project, no Verão passado; em 15 dias, andei sempre de óculos. A vida no campo, ventos, terra, pelos de animais, poeiras, unhas de agricultura, enfim, parece-me que não é muito compatível com a higiene e conforto que as lentes de contacto exigem.

Até correr já o fiz de óculos e é bem possível. Tenho os meus óculos velhos guardados para estas ocasiões, e assim poder estar mais à vontade.

É óbvio que gosto mais de me ver sem óculos. Nasci sem óculos, isto é um artefacto na minha cara, quem é que gosta (na verdade, há quem use óculos sem graduacão só por ser giro!)? Condicionam-me o meu estilo e a minha aparência, pareco mais velha e mais formal. Mas que hei-de fazer? Resta-me usá-los tanto que me sinta confiantes com eles.

O próximo passo é passar a comprar lentes diárias, mais seguras, para usar em dias de ida à piscina e ocasiões especiais, jantares fora, festas, e afins. Não quero deixar de usar lentes de contacto de todo.

Experiências desse lado?

6 de fevereiro de 2015

ZERO SACOS DE PLÁSTICO!

Queridos leitores, boa noite! 

Olhem, não sei bem como, mas já não trago para casa sacos de plástico daqueles usados para pesar frutas e hortícolas. Simplesmente, agora ando sempre com sacos de pano na mochila. 

Quando fui a Coimbra, no Natal, trouxe todos os sacos de pano que encontrei e que achei que poderiam servir o propósito. Dois deles são sacos para o pão, feitos à mão, bordados. Um outro é um saco de uns sapatos quaisquer que uma vez comprei.

E sim, no supermercado, ficam todos a olhar. Mas sei que estou a fazer o que tem de ser feito. E estou mesmo contente, porque simplesmente, há um par de semanas que não trago um único saco de plástico para casa. 

Pequenos passos, grandes mudanças!
Bom fim-de-semana,

23 de janeiro de 2015

PRODUTO DE LIMPEZA CASEIRO!

Bom dia, inconformistas!

Sou sempre um pouco céptica em relacão às receitas caseiras para produtos que usamos no dia-a-dia. Como há muitas pessoas a fazer dinheiro com os seus blogues, acabamos por ser enganados, com receitas mirabulantes que depois nas nossas casas nunca funcionam. Foi o que me aconteceu com a primeira experiência de fazer pasta de dentes caseira. Mas hoje acredito que vos trago uma novidade mesmo boa. Experimentei fazer um produto de limpeza caseiro, e o resultado parece-me bastante bom.  

Creio que não é preciso explorar demasiado as vantagens de fazer um produto de limpeza em casa, pois não? Mais barato, mais ecológico, menos agressivo para as mãos, menos espuma (e portanto menos água gasta a enxaguar tudo) e, enfim, feito por vocês próprios! Para além disso, as mãos ficam a cheirar a limão, em vez de afugentarem os nossos bebés e gatinhos. 

Neste momento, estou a usar para limpar a casa-de-banho.  Para sujidades mais entranhadas, e tendo tempo, aconselho a deixar o produto actuar por alguns minutos. Apesar de ser bastante organizada, não sou muito de limpezas; por isso, não me perguntem se este produto é bom para madeiras ou paredes. Para informacões mais detalhadas consultem o blogue Ideias debaixo do telhado, donde tirei esta receita.

E agora escrevo mas é a receita. Tal como a receita caseira para desentupir canos, também esta contém apenas ingredientes bastante fáceis de adquirir. Podem comecar por fazer metade da receita, como eu fiz, para experimentarem!

Produto de limpeza caseiro

800ml de água
4 colheres de sopa de vinagre de vinho branco
4 colheres de chá de bicarbonado de sódio
sumo de meio limão
1 colher de chá de sal

Misturar os ingredientes pela ordem acima apresentada. Vai fazer uma efervescência mesmo gira, por isso não é mal pensado usar um recipiente ligeiramente alto, como um copo misturador. Misturar bem para que o bicarbonato de sódio e o sal se dissolvem completamente, e verter para um borrifador (de um produto antigo, que tenham guardado). E está pronto! 

Se experimentarem, digam-me!

22 de janeiro de 2015

UMA INFUSÃO LINDÍSSIMA!

Bom dia queridos visitantes. Como partilhei num post anterior, um dos meus chás preferidos, ainda eu não era grande amante de chá, era o chá de maçã e canela, que costumava comprar da Lipton. Entretanto, com a história de evitar chá em saquetas e aditivos, até me fui esquecendo que existe tal esplendor. Até há poucos dias, em que me lembrei de preparar chá de maçã e canela caseiro. E hoje comeco o dia partilhando convosco a receita, tão simples!

Infusão caseira de maçã e canela (sem estimulantes)

Ingredientes:
- Casca de, pelo menos, 1 maçã - o mais aromática possível, de preferência biológica ou, ainda melhor, caseira;
- Um pedacinho de pau de canela - não usem um pau de canela inteiro porque se não é mais difícil sentir o aroma da macã;
- Água! De preferência, da chuva, recolhida em seguranca.

Fervam a casca de maçã e o pau de canela em água durante, pelo menos vinte minutos. Quanto mais tempo deixarem ferver, mais forte a infusão ficará. No final, terão uma infusão frutada e picante cuja cor variará consoante a variedade de maçã que usarem. A minha infusão ficou completamente cor-der-rosa! A casca da maçã contém diversos pigmentos, clorofilas, carotenóides, antocianinas e flavonóides, que pintam a água e fazem muito bem ao nosso corpo.

A infusão também será ligeiramente espessada, devido a uma fibra solúvel presente na maçã, a pectina. Ou seja, um chá que parece um néctar!... Se não gostarem, podem coar a infusão antes de consumir.

Tenham um óptimo dia!

Nota: não deitem a casca de maçã nem o pau de canela para o lixo! Eu usei os meus durante 24h, para várias chávenas de chá, e o chá foi ficando pronto cada vez mais rapidamente, e cada vez mais aromático e colorido.

21 de janeiro de 2015

RECEITA CASEIRA PARA DESENTUPIR CANOS

Olá a todos!

Aqui em casa, os canos da casa de banho entopem com alguma frequência. Como aqui na Finlândia não se encontram aqueles desentupidores de borracha que usamos em Portugal (e nunca me lembrei de trazer um!), costumamos usar um produto super eficaz que compramos no supermercado. Mas desta última vez decici-me a usar uma alternativa muito mais ecológica.

E portanto um post rápido para partilhar convosco uma receita ecológica caseira, barata e muito simples, para desentupir canos, sem ter de se recorrer aos agressivos produtos de supermercado. A receita foi partilhada pelo Noctula Channel e tem a vantagem de usar ingredientes super fáceis de arranjar. Idealmente, isto deve ser feito enquanto o cano, apesar de entupido, ainda verte, para não termos água a atrapalhar.

Então:

Deita-se 1 copo de bicarbonato de sódio no ralo do cano entupido. 
Logo de seguida, verte-se meio copo de vinagre barato e tapa-se o ralo (com a tampinha do ralo ou com um pano velho, por exemplo).
Aguarda-se meia hora. 
No final, verte-se água bem quente pelo cano. Este passo final funciona também como teste, ou seja, se ainda não escoar como deve ser pode repetir-se o processo quantas vezes necessário. 

Esta mistura caseira para desentupir canos pode e deve ser usada juntamente com o desentupidor de canos de borracha, certamente, o mais ecológico.

Até breve! 



17 de janeiro de 2015

QUERES UM CHÁ DE LIMÃO?

Este post é uma história de amor. 

Nunca fui muito de chás nem infusões. Era raro beber, e se bebia tinha de ser um sabor frutado, com acúcar ou mel. Mas desde que deixei de beber leite em Natureza, senti necessidade de ir bebendo mais chá. Daqui em diante, tratemos chás e infusões apenas por chá, para ser mais fácil.

Inicialmente, fiz um esforco e habituei-me a beber chá sem qualquer adocante. Hoje já nem penso em bebê-lo doce. Durante algum tempo, mantive-me fiel ao chá verde de menta e ao chá preto de macã e canela. Entretanto, comprei uma grande variedade de chás em saquetas para ter em casa. Concluí que não sou grande apreciadora de chá verde, mas adoro chá preto, branco, rooibos. Entretanto, comecei a dar mais atencão à qualidade dos chás que bebia. Apercebi-me que a maioria dos chás que tinha em casa, aromatizados, tinham ingredientes que não me agradam, como a maltodextrina e aromas artificias. Também tentei informar-me sobre a responsabilidade social das marcas que comprava. E assim fui ficando cada vez mais exigente com os chás que bebo, bebendo cada vez de maior qualidade. Há coisa de um ano, adquiri uma prensa Francesa para deixar de usar chá em saquetas. Agora uso ervas soltas e adoro o ritual.

E pronto, estou apaixonada. Adoro chás e infusões, e as razões são tantas. 

> É a bebida mais ecológica que consigo imaginar.
> Pode ser local e sazonal, só temos de escolher ingredientes da estacão e da nossa terra.
> Tem tanta cor! Leite com café é sempre da mesma cor!
> É super saudável, serve todas as dietas e ideologias alimentares. 
> Consoante a erva ou fruto usado na infusão, pode ser uma bebida muito funcional, preventiva ou curativa.
> Não fornece calorias mas nutre a alma!
> Pode ser bebido quente ou frio, confortando em todas as estacões!
> É compaixão. Não explora nenhum animal.
> Chá é igualdade. Todos os que puderem ferver água podem preparar uma infusão.
> É extremamente belo, puro, delicado. Diria que às vezes toca a esfera do mágico.

Desafio-vos também a trocarem a caneca de leite por uma chávena de harmonia!

Beijinhos,
Ana

16 de janeiro de 2015

MELHOR BOLACHA PARA BEBÉS?

Boa tarde queridos leitores! Que tal está o ano a começar? Eu sou uma verdadeira apaixonada por fins e começos de anos. Horas antes da meia noite resumo no meu diário o ano que passou e faço listas com ideias para o novo ano.  À meia noite como religiosamente doze passas, em silêncio e de olhos fechados. Enfim, uma excitação que parece não desvanecer com a idade.

Abro este ano com um post sobre a bolacha Maria. Muito provavelmente cresceram a comer bolacha Maria de várias maneiras, do tempo em que ela até vinha da fábrica da Triunfo de Coimbra. E provavelmente hoje vivem a ouvir que a bolacha Maria é a mais saudável, já a fábrica de Coimbra fechou e a Triunfo é vendida e comprada por multinacionais. Entretanto, é a primeira bolacha que dão ao vosso bebé. Juntamente com as fraldas, transportam para todo o lado um pacote de bolacha Maria.


Eu também adoro bolacha Maria. Mas, infelizmente, ela já não é o que era. Se já não é só farinha, açúcar, manteiga e leite, então o que é?


É lecitina de soja e proteínas de leite. Soam inofensivos mas não são, especialmente para o seu bebé. Tanto a soja como o leite de vaca são dois alimentos que despoletam frequentemente alergias alimentares nos bebés. Posto isto, devem ser evitados, pelo menos, durante o primeiro ano de vida. Evitar a lecitina de soja e as proteínas de leite (como ingrediente) tem ainda a vantagem de a obrigar a evitar alimentos demasiado processados.

A juntar a estes dois alergénios, a bolacha Maria contêm ainda um outro, o metabissulfito de sódio (E223), cujo consumo deve ser evitado por crianças. 

Para além destes três alergénios, nos ingredientes da bolacha Maria consta xarope de glucose-frutose (ou HFCS de high frutose corn syrup), que actualmente substitui o açúcar em muitos alimentos processados. Mais barato que o acúcar, um líquido meloso, que não existe na Natureza. O xarope de milho que é extraído do milho é aproximadamente 10% de frutose, enquanto que o HFCS tem aproximadamente 55% de frutose. Portanto, o HFCS é sim altamente processado.


Por último, as bolachas não zelam propriamente pela saúde oral do seu bebé. Como sente os seus dentes depois de comer bolachas? 

De qualquer maneira, se quer dar bolachas ao seu bebé, 

- Invista algum dinheiro comprando bolachas artesanais Portuguesas, à venda em seccões e lojas gourmet por todo o país. Atencão à textura;

- Invista algum do seu tempo a fazer bolachas caseiras; serão inquestionavelmente mais saudáveis. O amor e dedicacão que nelas puser, também vão nutrir o seu bebé. Quem sabe até se ajeita a imprimir o nome do seu rebento na bolacha... Afonso? Joana?

31 de outubro de 2014

REPENSAR AQUELA LATA DE FEIJÃO VERMELHO...

Bom dia queridos leitores! Já estava com saudades de escrever! Como estão? Cozinhas mundo lusófono fora preparam-se para comecar a celebrar o fim-de-semana. E eu aproveito e venho escrever-vos sobre a minha mais recente resolucão para mudar o mundo um passinho de cada vez: parar de consumir alimentos enlatados.

Antes de vos explicar como tenho gerido os desafios inerentes a esta decisão, explico-vos porque é que este é um passo muito importante!

> Principalmente, porque desejo genuinamente uma vida melhor para todos os seres humanos e acho que trabalhar numa mina de exploracão de estanho, cromo, ferro ou alumínio, ou numa fábrica de latas, ou a guiar um camião que transporta ananás em calda, não são trabalhos bonitos que eu gostasse de fazer. Portanto, como posso pedir aos outros que o facam?

> Porque é comida enlatada, fechada, esterilizada. Foi submetida a altíssimas temperaturas que destruíram toda a forma de vida microbiológica e proteínas com funcão enzimática, para que a lata dure meses ou anos, do campo até à cidade, da fábrica até ao armazém, ao supermercado, à nossa despensa, ao nosso prato. Não me seduz!

> Porque o estanho, o cromo, o alumínio e o bisphenol-A, geralmente usados no fabrico das latas, contaminam inevitavelmente os alimentos enlatados. Nomeadamente em relacão ao bisphenol-A, que não ocorre na Natureza, a Autoridade Europeia para a Seguranca Alimentar (EFSA) alerta para a provável toxicidade que a exposicão ao BPA representa para o rim, fígado e glândula mamária.

> Porque me obrigo a consumir alimentos frescos, com mais qualidade, mais nutritivos, reconectando-me com os ciclos e ritmos da Natureza a que pertenco.

> Porque, em princípio, faco menos lixo.  

Muito bem, e agora os alimentos enlatados que de vez em quando comprava e as alternativas que tenho andado a usar:

- Ananás em calda: punha de vez em quando na pizza caseira mas comecei a sentir que era demasiado doce e parei já há bastante tempo simplesmente porque já não apreciava. Para além disso, ando em busca da pizza perfeita e não me parece que a genuína pizza margherita de Nápoles tenha ananás em calda!...

- Atum: costumava comer com cebola picada, batata cozida, azeite e salada de tomate, uma combinacão de sabores que me lembra os deliciosos almocos fast-food da minha mamã. Mas sou uma sortuda e batata cozida com salada de tomate e cebola, regados com azeite, é ainda mais fabuloso, já que é cruelty-free, fazendo bem ao coracão!

- Polpa de tomate: parar de comprar polpa de tomate é um desafio e pêras. Uso-a para cozinhar lasanha de beringela e canelones de espinafres, as duas receitas de pasta que têm resistido à minha recente relutância em comer massa. Mas já experimentei utilizar polpa de tomate caseira (quer dizer, tomates maduros pelados e triturados) e saiu óptimo.

- Feijão vermelho e grão-de-bico cozidos: feijão vermelho para pôr na sopa e estufar com ovo escalfado, e grão-de-bico para fazer sopinha com espinafres, caril de grão com arroz e a minha versão de bacalhau ensalsado, sem bacalhau. Estes são os enlatados que mais me tem custado abandonar já que demolhar e cozer leguminosas requer planeamento e tempo. De qualquer maneira, estou cheia de motivacão e tem funcionado!

- Cogumelos: como aqui na Finlândia se consomem muitos cogumelos, há quase sempre frescos à venda nos supermercados, portanto a mudanca tem sido muito fácil. Para além disso, estou também a tomar atencão à sazonalidade deste preciosíssimo alimento, que brota por todo o lado no chuvoso Outono Finlandês.

E os leitores, consomem muitos enlatados?

Bem a propósito, sugiro-vos o galardoado documentário Finlandês Canned Dreams, que segue o processo de producão de uma lata de ravioli de carne, desde a mina no Brasil, ao cultivo do tomate em Portugal, à carne na Polónia. É muito bom, bonito, recomendo! Podem ver online aqui!

Bom fim-de-semana e uma feliz alimentacão para todos!

8 de outubro de 2014

PASTA DENTÍFRICA COUTO E PRONTO.

Olá queridos leitores!

Lembram-se de eu vos ter escrito sobre a minha experiência de fazer pasta de dentes caseira? Pois é, infelizmente, não continuei a fazer porque não me consegui habituar ao meu novo produto. O sabor a óleo de coco é o principal inimigo. Portanto, talvez um dia experimente com glicerina. 

De qualquer maneira, e tal como outros bloggers, tenho usado Pasta Dentífrica Couto: Portuguesa, velhinha (regra geral, gosto do que é antigo), sem Sodium Lauryl Sulfate nem flúor, e tão potente que uma bisnaga de 60g me dura para quase 3 meses - portanto é um investimento que sem dúvida compensa.


Quanto às pasta de dentes ecológicas, ainda não encontrei nenhuma no mercado que me satisfaca; geralmente, se não têm SLS têm flúor, e se não têm flúor têm SLS. Portanto, a vencedora para mim é mesmo a Pasta Medicinal Couto! Que podem encontrar, pelo menos, nas lojas de Saúde e Bem-estar do Grupo Auchan (ou seja, do Jumbo e Pão de Acúcar).

E vocês, que pasta de dentes usam?

4 de outubro de 2014

ALIMENTAR O SONHO DE VIVER EM COMUNIDADE!

Boa tarde, queridos leitores! 

Por aqui, um sol radiante sobre o frio cristalino. Hoje decidi vir escrever-vos sobre algo que me inspira profundamente: a vida em comunidade. Entenda-se em família alargada, com os pais, avós, filhos, irmãos, netos, com amigos ou  até desconhecidos

O desejo de viver em comunidade foi algo que me comecou a interessar há pouco mais de 1 ano, em parte como resultado da vida um tanto precária que tenho andado a viver nos últimos anos: fui de Coimbra para o Porto, de lá para Espanha, de Espanha para Helsínquia e acabei a estudar no centro da Finlândia. O resultado são muitas saudades espalhadas por todo o lado e alguma solidão.


Viver em comunidade talvez também me tenha comecado a atrair porque tive a alegria de crescer numa família numerosa, de três filhos e uma gatinha, muitas refeicões em família, bolo e pizza caseiros ao Domingo, muita música, muitas vozes.

Acima de tudo, acho que viver em comunidade é um desejo inevitável de uma pessoa com os ideias de paz, amor, união com a Natureza, partilha e liberdade.

Quando estudava no Porto, tive o privilégio de viver dois anos maravilhosos no Lar Universitário Cluny, em Cedofeita. Durante esses dois anos partilhei um quarto com uma estudante dos Acores, a Beatriz, que se tornou uma grande amiga. Apesar de sermos relativamente diferentes, tratámo-nos com tanto respeito e tolerância que a nossa convivência foi extremamente pacífica - e deixou muitas saudades. 

Mas no Lar Cluny a experiência de viver em comunidade não se ficava pelo quarto. Tinha sempre companhia ao pequeno-almoco e ao jantar juntávamo-nos as quase setenta raparigas no refeitório da residência. Uma casa cheia!

Mais recentemente, experiencei brevemente a vida em comunidade, nos quinze dias que passei no Awakened Life Project. E foi profundamente inspirador. Todas as pessoas a partilhar valores semelhantes e a viver activamente em funcão desses valores.

No que toca a partilhar a casa com amigos ou desconhecidos, acho que é importante que as pessoas partilhem valores semelhantes. Num jornal Finlandês li uma vez uma reportagem sobre um casal Finlandês que na altura de mudar de casa, em vez de procurar um apartamento, procurou outras pessoas que também gostassem de viver em comunidade. Depois, de entre os interessados, o casal escolheu os que partilhavam de ideias mais semelhantes, naquele caso, quem é que também fazia separacão do lixo, era vegetariano, entre outros. E acabaram a viver na mesma casa com outro casal!

Eu tenho algo de alma cigana. Esse ditado Português de Casamento, apartamento, para mim não serve. Para mim, casamento é sinal de família alargada! Isto de sair de casa mal se ganha um salário é coisa de sociedade capitalista e individualista, quando o dinheiro compra mesmo quase tudo. Nos países em desenvolvimento (para onde Portugal caminha se os cidadãos não despertarem) as famílias são alargadas e também o foram no passado em Portugal. Suponho que no Portugal rural ainda existirá.

A crise económica - que devia mais de ser chamada de crise de valores - é uma excelente oportunidade de repensar o modo como vivemos. Afinal, quantas casas por Portugal têm quartos vazios e quantas pessoas se sentem extremamente sós ou vivem em cubículos de 400€ de renda? Porque é que desconfiamos de toda a gente e de todas as intencões?

Pois bem, deixo aqui algumas das vantagens de viver em comunidade (incluíndo em família alargada):

  • Não há tanto lugar para a solidão se instalar. Seja no adolescente, no desempregado, no doente, no idoso.
  • Há sempre alguém com quem falar quando precisamos. Mas se não quisermos falar também ninguém nos obriga.
  • Cozinha-se sempre para mais do que um. Quem é que gosta de cozinhar só para si? A probabilidade de se trazer do supermercado uma embalagem de comida pronta-a-comer é muito maior. Ou seja, em comunidade é mais fácil comer saudavelmente.
  • Faz-se menos desperdício alimentar. Quando se vive sozinho, manda-se muitos mais frutos e hortícolas para o lixo.
  • Ser mãe e pai é muito mais fácil! Todos ajudam, todos brincam. As mães não passam a licenca de maternidade sozinhas em casa a deprimir.
  • Muito menos espaco para a doenca mental e demência! Não procurei dados epidemiologicos sobre isto mas parece-me óbvio, não? Há menos espaco para manias e hábitos destrutivos, controlos e obsessões.
  • Muitas cabecas pensam melhor que uma. Mais ideias de coisas para fazer, de lugares aonde ir, de receitas para cozinhar. Mais solucões para os problemas.
  • O trabalho é dividido, há menos carga de trabalho por pessoa. Uma semana aspira um, noutra semana outro. Vários a ir pôr o lixo, a ir ao pão.
  • Há sempre alguém para partilhar um Bom dia! e uma Boa noite!
  • Há sempre companhia ao pequeno-almoco e às refeicões. Quem gosta de comer numa mesa vazia?
  • Um carro, muitas boleias!
  • Há mais geracões juntas, mais idades, mais tolerância, mais compreensão, mais respeito, mais conhecimento, mais experiências.
  • Haverá mais dinheiro no agregado familiar. A pensão dos avós, o ordenado de um e de outro.
  • É muito mais sustentável do ponto de vista da utilizacão de recursos. Um casal sozinho com uma cozinha equipada, poderia na verdade alimentar muitos outros casais. E o secador? E a impressora? E o computador? A maior parte dos recursos que temos não os usamos 24/7!
  • Muito mais seguranca financeira. Se alguém ficar desempregado, haverá sempre alguém bem perto a dar-nos a mão.
  • Se alguém está doente e precisa de atencão redobrada, as pessoas revezam-se sem alterar tanto a sua rotina.
  • Várias pessoas te conhecem bem e tu conheces bem várias pessoas. Por mais voltas que se dê, isso será sempre uma vantagem.
  • As criancas não têm tanto medo de ficar no escuro à noite :) Há mais luz, mais vida.
  • Muito mais fácil ter um animal de estimacão porque todos podem ajudar a cuidar dele.
  • Os pais não têm de se afligir com a ideia de um dia acabarem os dois sozinhos, depois de já terem tido a casa tão cheia.
  • Mais pontos de vista, o que apesar de poder criar conflitos, estimula a nossa tolerância!
Quanto às desvantagens, principalmente no que toca a divergências e conflitos no relacionamento entre as pessoas, não existem sempre que duas pessoas se encontram, inclusivamente entre marido e mulher? Digam-me, desse lado, há por aí alguém a viver em família alargada ou em comunidade? Pessoas a viver em casa dos pais depois do casamento? 

2 de outubro de 2014

NÃO À PRIVATIZACÃO DA ÁGUA!

Queridos leitores,

Boa noite. Venho algo agitada escrever sobre um tema que muito me inquieta - e devia inquietar a todos: a privatizacão da água em Portugal, processo iniciado pelo actual governo, que o Tratado Transtlântico vem tornar ainda mais provável.

A água é um direito humano fundamental, recurso natural indispensável à vida e sobrevivência. Se a água for privatizada, esta não passará de um produto comercializado por uma empresa, cujo primeiro e último objectivo é o lucro. O IVA sobre a água subirá, a factura da água aumentará, o preco dos alimentos será mais elevado. A qualidade da água piorará. Aquela linda fonte no adro da vossa aldeia será encerrada.

Imaginem, margens e leitos de rios, nascentes, fontes, furos e captacões próprias, tudo privatizado nas mãos de uma empresa! 

Assim, venho convidar-vos a assinar esta peticão pública que pretende levar a privatizacão da água a referendo (tal como aconteceu em Itália), disponível aqui. Para que seja possível propor a questão a referendo, são precisas 75 000 assinaturas e, de momento, apenas 32 541 pessoas assinaram! Assim, convido-vos também a partilharem esta mensagem ou peticão com os vossos familiares e amigos, para que as pessoas percebam que privatizar a água ou não é muito mais do que uma mera questão de gestão!

"Se o sector da Água é insustentável do ponto de vista económico, porque haverão empresas privadas interessadas no mesmo?"

Se quiserem ler mais sobre a privatizacão da água, sugiro este artigo que está excelente.

Primeiro privatiza-se a água... Depois a água comeca a ser suplementada com flúor... e por fim proíbe-se a recolha de água da chuva (sim, soa cómico mas é real). E somos então mais um desunido estado dos EUA.

Relembrem as aulas de História: água é civilizacão.

12 de setembro de 2014

REPENSAR O MEU SUPER PUSH-UP...

Queridos leitores e mais uma vez, especialmente, leitoras,

Sabem quando estão a usar uma camisola de gola alta e as alcas do soutien caem a toda a hora? E quando não se usa a copa certa, estão a ver aquela deselegante cova debaixo da camisola? E os inestéticos relevos de rendas debaixo da roupa? Para além de que as rendas podem picar e irritar a pele. E pior ainda, sabem quando esticamos o braco para tirar qualquer coisa do armário alto da cozinha e as copas do soutien nos sobem até ao pescoco??  Ah e alguns soutiens também deixam horríveis marcas vincadas na pele, debaixo do peito, nos ombros. E isto multiplicado por não sei quantos soutiens, um branco, um preto, um sem alcas, um sem costas!... 

Enfim, quem usa soutien, sabe do que estou a falar. Para umas mulheres é mais simples do que para outras, consoante o tamanho do peito e a relacão com o perímetro das costas, mas duvido que haja aqui uma leitora que nunca tenha experienciado extremo desconforto por causa de um soutien.

Ora bem, para que é que usamos soutien? 

Para suportar o peito, pelo menos em teoria e principalmente, se o nosso peito for grande. Agora, o meu pequeno peito certamente não precisa de suporte. Na verdade, é mais o meu peito que suporta o soutien, nem sempre com sucesso, como já expliquei.


Na verdade, uso soutien para aumentar o volume do meu peito. E para lhe dar uma forma perfeitamente redonda, que ele não tem. Ou seja, para o alterar completamente. Mais, uso soutien para esconder o meu peito, tanto quando faz calor como quando faz frio; aprendi que é feio. Que atrai perigosos e entusiasmados olhares. Que é sem vergonha, provocador.

E então decidi ir às compras! Na H&M aqui de Helsínquia encontrei imensos soft bras ou bralettes - sem aros nem almofadas. Comprei um preto mas vinca-me um bocado as costas.

Entretanto, em Portugal, encontrei no Continente um soutien top em preto (existe também em branco e bege), da marca Portuguesa Mo Body. E foi amor à primeira vista. Desenhado e fabricado por mãos Portuguesas, sem aros nem almofadas, por apenas 5,99€?

Objectivo a longo prazo: toda a minha roupa interior ser Portuguesa, bonita e confortável. Será pedir muito?

Mas não foi só o soutien que mudei. Mudei o modo como olho para o meu peito e o respeito, à sua forma e tamanho. Adoro-o e jamais vou voltar a ignorá-lo como fiz até agora.

Acordem as Deusas que há em vocês! :)


P.S: A minha atitude também mudou porque conheci uma senhora a quem o médico proibiu de usar soutien desde que teve um cranco de mama, por causa da constricão que o soutien causa nos vasos linfáticos...